Reorganização Societária

Em dezembro de 1996, o controle acionário da Eucatex foi adquirido por meio de transferência das quotas da RNTL Participações S/C Ltda. para o Sr. Paulo Maluf e para a Sra. Sylvia L. Maluf. Os novos acionistas controladores nomearam uma nova administração, onde o Sr. Flávio Maluf foi eleito diretor presidente da Eucatex e tomou uma série de medidas de médio e longo prazo com enfoque na redução de custos, na capitalização da Companhia e na redefinição da sua estratégia operacional e de atuação comercial.

A Eucatex passou por um processo de reorganização societária e administrativa, inclusive, por meio da incorporação de empresas controladas pela Companhia, a fim de reduzir os seus custos operacionais e agilizar a sua administração.

Entre as ações implementadas pela nova administração visando à redução de custos, destacam-se:

  • Redução do número de diretores e diretorias de 26 para 8;
  • Redução do número de funcionários de 4.357 para 2.541 até fim do exercício de 2004;
  • Venda dos negócios Terpenos e Argilas Ativadas, que eram deficitários e não tinham qualquer sinergia com os demais negócios da Companhia. No último trimestre de 2002, foi vendido o negócio Filtrantes Industriais;
  • Fechamento de linhas de produção deficitárias, tais como: Lã de Vidro, Lã de Rocha, Portas contra Fogo, Fachadas e Collor Walls;
  • Redução dos custos variáveis de produção, redefinição da linha de produtos a serem comercializados e lançamento de novos produtos de maior valor agregado;
  • Aumento da capacidade instalada de produtos de maior valor agregado e modernização das linhas de produção, a partir de significativos investimentos nas unidades fabris de Salto e Botucatu.

Alguns exemplos desses investimentos:

  • Instalação de uma moderna linha de pintura e uma linha de revestimento com papel “finish foil” para chapas de fibra, visando redução de custos e aumento da capacidade de produção;
  • Modernização e aumento da capacidade de produção da fábrica de portas e painéis;
  • Ampliação da capacidade de produção da fábrica de painéis de MDP que foi projetada para uma produção de 200 mil m³ ano e atualmente tem capacidade para, aproximadamente, 430 mil m³;
  • Implantação da nova linha de pisos laminados; e
  • Instalação da Unidade de T-HDF/MDF.

A adoção de tais medidas produziu um sensível impacto nos resultados da Companhia, dentre os quais cabe destacar:

(i) Crescimento de 231% ou R$ 376 milhões na receita líquida, no período de 1995 a 2004;

(ii) Crescimento do faturamento por empregado de R$ 37 mil/empregado para R$ 212 mil/empregado no período de 1995 a 2004; e

(iii) Significativa melhoria do resultado operacional (antes dos gastos com reestruturação e despesa financeira líquida), que passou de um prejuízo operacional de R$ 25 milhões para um lucro operacional de R$ 36 milhões no período de 1995 a 2004.

Ano 1995 2000 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2013 x 1995
Receita Líquida (milhares de reais) 162.682 358.591 557.577 570.053 623.522 700.936 666.676 794.002 899.120 963.468 1.118.266 587%
Número de Funcionários 4.357 3.096 2.621 2.382 2.318 2.227 2.061 2.622 2.430 2.451 2.464 -43%
Receita Líquida / Número de Funcionários 37 116 213 239 269 315 323 349 1 370 393 454 1115%
Resultado Operacional antes dos Gastos com Reestruturação e Despesa Financeira Líquida* -25 45 26 27 71 137 229 2 119 2 132 2 126 ¹ 162 ¹ 548%

¹Valores de acordo com os padrões IFRS.

* Em milhões de reais

O gráfico demonstra claramente a recuperação dos resultados operacionais da Companhia (antes das despesas financeiras e dos gastos com reestruturação).